Departamento de marketing interno: quando vale a pena ter um?

Publicado: 20 de novembro de 2018

Estruturar um departamento de marketing dedicado a uma empresa ou a um negócio, é uma decisão importante na vida financeira e na rotina dos empreendedores.

Por isso, nessa hora, a melhor forma de tomar uma decisão é a boa e velha matemática.

Devemos levar em consideração os fatores a seguir:

  • Mercado
  • Segmento
  • Nicho de mercado
  • Tamanho da empresa
  • Frequência dos negócios
Mercado, segmento e nicho

Mercado

É constituído em ambiente físico ou virtual – cada vez mais virtual – de vários atores que trocam valores, tangíveis e/ou intangíveis, entre si. Porém, existe o mercado de peixes, mercado de carros, mercado de bugigangas, ou seja, os mercados podem ser caracterizados pela predominância daquilo que circula nele.

Dificilmente veremos alguém vendendo um peixe em meio a um feirão de automóveis. E esse é o primeiro grande desafio do profissional de marketing dedicado a uma empresa: onde ela precisa estar?

Segmento

Depois que o profissional entende que precisa vender peixe em um lugar que não seja o feirão de automóveis, ele já está caminhando para a segmentação. Ou seja, já no mercado de peixe, há quem prefira uma variedade à outra. Há quem quer o peixe para assar, e outro que quer para fazer um sashimi, por exemplo.

Definir o segmento é mergulhar de cabeça no mercado e entender que mesmo os negócios que partilham do mesmo “mercado”, há particularidades que devem ser analisadas.

Nicho de mercado

Se você já mergulhou de cabeça no segmento, agora terá que “garimpar”. Sim, é exatamente isso que significa procurar um nicho de mercado. Digamos que, o mercado seja o de alimentação, depois, o segmento seja restaurantes, agora, vamos definir o tipo de comida que serviremos.

É observável que se você for abrir uma temakeria, seu público será mais jovem. Você começa a especializar seu trabalho e portanto, sua estratégia nasce aí.

E o departamento de marketing interno?

Pois então, os três itens anteriores tratam da preocupação que todos devem ter, mas quando chegamos ao tamanho da empresa e à frequência dos negócios, algumas questões vêm à tona: O tamanho da empresa – Considere que o ideal seja investir no mínimo 5% do seu faturamento em um conjunto de planejamento e ações de marketing.

Faturamento até R$ 100.000,00:

No máximo dois profissionais registrados

Orçamentos de mídia online e peças gráficas a parte

Dedicação exclusiva X Ociosidade

Faturamento até R$150.000,00:

No máximo dois profissionais registrados

Orçamentos de mídia online e peças gráficas tímidos

Dedicação exclusiva e otimizada

Faturamento acima de R$200.000,00:

No máximo dois profissionais registrados

Orçamentos de mídia online e peças gráficas razoáveis

Dedicação exclusiva com início de sobrecarga

Possibilidade de expansão e setorização

Conclusão:

Para empresas que faturam acima de R$100.000,00 pode ser muito interessante estruturar o próprio departamento de marketing, de maneira a conseguir uma dedicação exclusiva. Mas não sem antes ter uma orientação mais abrangente daqueles que já estão no mercado há algum tempo, mas não tempo suficiente para viciarem seus processos.

Para empresas que faturam abaixo dos R$ 100.000,00, o departamento de marketing interno sairá caro em dois sentidos, o mais claro, financeiro e o menos óbvio, que apresentamos a seguir:

Mas nem tudo se resume aos números

  • Know How : ponto positivo para se buscar uma empresa que preste esse serviço e aprender com ela, caso sua empresa comporte um departamento de marketing.
  • Flexibilidade: ponto positivo novamente para buscar uma empresa de fora, afinal, se não estiver funcionando, o processo de “troca” é muito mais facilitado do que ter que desmanchar seu departamento inteiro.
  • Diferentes pontos de vista: você pode até conhecer seu negócio, seu mercado, mas sempre terá pontos cegos. Alguém de fora pode te ajudar a ver aquele parafuso com folga na quina da estrutura/processo e etc. Ponto positivo novamente para se buscar um braço que esteja atendendo a clientes diferentes, e portanto, está habituado a experimentar ações que podem servir para você.
  • Menos autonomia: ponto negativo para buscar uma empresa que vai “ditar” o que e como você deve se comunicar com seu cliente. Porém, com boa vontade, é possível escolher uma empresa que veja em você não um cliente, mas um parceiro, e que construa ou reforce junto com você a sua identidade.
  • Comprometimento: é claro, a outra empresa não vai sofrer tanto quanto você se seu negócio não der certo. Por isso, ponto negativo! E no caso de sua empresa faturar bem, por que não procurar uma empresa com experiência e sucesso no ramo de marketing para ensinar a você e ao seu departamento, o que fazer para adotar aquele rumo?

No fim das contas, muitos mentem para você

Nem sempre você precisa contratar uma empresa de marketing. Sim, se o seu negócio tiver uma frequência do tipo de padaria, seu cliente provavelmente deve morar perto de você, deve te conhecer, e não raro deve até ser seu amigo. Você não vai atrair um cliente do outro lado da cidade só porque seu pão foi feito num forno especial. Desencana.

Agora, se você é uma empresa cuja frequência é alta, cujos negócios são mais amplos do que o bairro e ou cidade em que você trabalha, bom… aí a conversa muda. Se você for ter um departamento de marketing, que ele seja bem estruturado e ganhe mais e mais experiência.

Se você for contratar uma agência, lembre-se de analisar bem se ela consegue te atender, mas analise também se você não será apenas mais um cliente na carteira dela, daqueles que são identificados pelo CPF, como todos nós o somos na Receita Federal.

Sem demagogia

Nós gostamos de ter clientes, mas não gostamos de ter qualquer cliente. Sim… é difícil aceitar, mas nem sempre você vai gostar do cliente que te contrata. Isso vai acontecer com você e seus clientes, pode apostar.

E por que admitir isso é tão importante para seu negócio?

Porque há clientes que vão te atrapalhar. Sim, o trabalho que eles precisam ou você não consegue fazer e vai tentar, deixando de lado aquilo que é o seu melhor ponto, ou você vai fazer sempre a mesma coisa.

Antes de ter um cliente desses, é melhor aprender com desafios escalonados para os clientes com os quais você já se identifica, que já possui uma relação sólida e um trabalho bem desenvolvido do que se aventurar com algum cliente que já é o seu tipo ideal, ou não possui um negócio compatível com o seu estilo de trabalho.

preparado para impulsionar o seu negócio?
Skip to content
TOPO